Um bolo atribulado...

Todos os dias aprendemos e fazêmo-lo, principalmente, com as experiências menos boas, todavia, a vida é assim mesmo: nem sempre um mar de rosas. Passo a explicar. O bolo hoje colocado no blogue "Recordar a Comunhão" está envolto numa história incrível: depois de verem o blogue, uns primos da Terceira expressaram a vontade de ser eu a fazer o bolo da 1ª Comunhão do filho, o Afonso. Perante esta sugestão, limitei-me a rir, pensando tratar-se de brincadeira, visto que... vivo em São Miguel! Mas não, era mesmo verdade. Com tudo tratado, o pai tinha de vir a São Miguel e aproveitou para levar o dito bolo. Ideia engendrada a meu critério, fiz questão da minha oferta ao miúdo ficar a rigor.
Combinámos tudo: embalagem própria para levar o bolo, base para o bolo do tamanho certo trazidas pelo pai e o bolo por minha conta.
1º Problema: o pai esqueceu-se da base/prato para o bolo.
2º Problema: arranjar em minha casa uma base adequada e com o tamanho certo para a embalagem. Solução: encontrei um tabuleiro de madeira com um vidro de protecção que era exactamente do tamanho exacto (desculpem a redundância!) da embalagem. Alertado para o risco do vidro ser demasiado fino para aquele propósito, o pai assentiu.
3º Problema: a meio da decoração do bolo... faltou o corante dourado (que deveria ser mais do que suficiente)! Solução: comprar corante em Ponta Delgada logo de manhã para acabar o bolo até às 13h30, porque o Paulo teria de estar no aeroporto às 14h00 para apanhar o avião de regresso à Terceira. Bolo acabado a tempo (com muito stress à mistura)= alívio!
Claro que esperei umas horas para saber a reacção da mãe e do miúdo ao bolo. Quando, finalmente, telefonaram, 4º Problema: o bolo caiu a sair do aeroporto das Lajes! O meu coração parou por breves instantes. Senti aquele calor que nos percorre desde os pés acima e nos queima a face... Com aquela calma, o pai só poderia estar a brincar, porém, não estava, o bolo tinha caído MESMO. Salvação: uma tábua de madeira que o meu marido tanto insistiu que servisse de base à embalagem, sendo anexada a esta com fita cola. Assim, a dita tábua funcionou de prancha de surf quando o bolo, com o embater do carrinho num degrau, deslizou pelas malas abaixo até cair no fundo do carrinho de bagagem. "Meu Deus, e o bolo?" perguntei eu. "Está intacto!" Nem quis acreditar.
Definitivamente, quando o que fazemos é de boa vontade e coração, não há contratempo que derrube a nossa obra. A comunhão correu bem, o Afonso foi abençoado e gostou muito do bolo da prima Raquel, ainda bem.

5 comentários:

Anita disse...

Pois é Raquel... quero deixar aqui alguns comentários sobre o bolo "A Taça é nossa" que fizeste para o meu sobrinho Filipe. Ao chegar a casa, pergunto à minha Mãe se tinha gostado da decoração.
-Hummm... não achei piada nenhuma.
Onde está o bolo? Está dentro da bola?
O meu coração viajou até aos dedos dos pés!!! E agora?
Sugeri nova vista de olhos. E lá fomos... Depois, descrevo o bolo e o trabalho que tiveste com a cobertura da bola. Espanto e apenas um pensamento "Ah! Que perfeição! Pensava que era mesmo uma bola e, por isso não tinha achado graça nenhuma! Que arte!"
A outra avó do Filipe, às tantas, diz à minha irmã que nunca tinha visto um bolo forrado a "napa".
Mas, minha amiga, devias ter visto o "meu" Filipe entradote nos seus 25, verde por fora e por dentro, mudo de espanto. Acho que os olhos ainda ficaram mais verdes!!!
Obrigada, "lagartinha"!

O Profeta disse...

Olá bom dia cara amiga e conterrânea, mas, isto é que foi uma aventura do bolo claro! Se Deus não acode o bolo ainda ia ter ao Corvo...
Gostei de ver os seus trabalhos de decoração, têm cor, alegria...
Sou professor de artes cá em Ponta Delgada que penso ser o sitio onde vive...


Beijinho

Maria João Careto disse...

olááá

adorei TODOS! os teus bolos

lindos lindos lindos

continua esse trabalho de sonho

bj

dede disse...

xelentes :D

então treinadora quando é que entras na aventura de fazer uma bola de voleibol?! lol

bem akele bolo "A Taça é nossa" iek lol bricando ficou xelente como qualquer outro trabalho encontrado aqui no blog :p

bjim

vê_la se vais visitar o meu

sara regina disse...

Olá eu sou a Sara e sou sobrinha da Zeza e do Paulo, eles deram-me o teu blog estes dias adorei todos os bolos sem excesao, só fiquei um pouco admirada nao teres nenhum do NODDY! Quando o meu filho fez anos mandei fazer um do Noddy do genero dos teus também estava bonito mas digase de passagem os teus sao bem mais bonitos. beijinhos e continua com os docinhos e delicias de pequenos e graudos........